terça-feira, 16 de junho de 2015

Série: Meu primeiro imóvel

Pessoal, bom dia. Hoje começamos nossa primeira série! 'Meu primeiro imóvel". Nesse primeiro texto vamos trazer algumas dicas iniciais para quem deseja comprar seu primeiro imóvel

A compra do primeiro imóvel requer muito planejamento para que o negócio se torne sustentável para o comprador, visto o alto valor normalmente envolvido. "É necessário estudar e escolher a melhor opção para a localização, tipo de imóvel (casa ou apartamento), se será novo ou usado, o número de quartos e garagens e a metragem."

1. Novo ou usado?
O imóvel usado normalmente tem valores bem mais acessíveis. Entretanto, alguns compradores não abrem mão de que sua primeira aquisição seja um imóvel novo, nunca utilizado antes. Do ponto de visto técnico, os apartamentos usados necessitam de uma maior atenção. A vistoria geral precisa ser bem detalhada e a análise do histórico do imóvel sempre é uma boa pedida. Os imóveis novos contam com garantia de 05 (cinco) anos para uma série considerável dos itens. 
Um fator considerável na escolha é a forma de pagamento. Vale ressaltar que as mudanças no financiamento facilitam muito mais a compra de imóveis novos. Superficialmente, a regra consiste em financiamento de até 80% do valor para imóveis novos e apenas 50% para imóveis usados. 

2. Quanto menor o valor financiado, melhor
Quanto maior for a sua entrada, mais vantajoso torna-se o seu financiamento. O mais interessante é usar o menor valor possível no financiamento, possibilitando que parcelas mais acessíveis. Por isso é sempre interessante que ao decidir comprar um imóvel você comece a captar o recurso para um bom valor de entrada. Mas não vá caminhar pela lado da loucura e ficar sem dinheiro algum, afinal você terá algumas despesas no período inicial.

3. Atenção ao valor da parcela
O valor a ser pago na parcela é um dos itens mais importantes quando se quer comprar um imóvel financiado. Conforme a matéria da Época Negócios¹, para os especialistas o ideal é que a parcela comprometa apenas 20% da renda líquida.

4. A escolha da instituição financeira
Para um imóvel de até R$ 500 mil, os juros do financiamento habitacional variam, em média, de 8% a 10% ao ano. “Tem que pesquisar as condições de crédito e tomar cuidado com o que eles chamam de relacionamento com o cliente – para ter uma taxa melhor, o cliente precisa ter ‘fidelização bancária’. Às vezes, para ter uma taxa melhor, o banco te obriga a fechar pacotes, que muitas vezes não valem à pena. Segundo Dana, na maioria dos casos, os bancos públicos possuem as taxas mais vantajosas.

E lembrem-se recentemente a Caixa Econômica Federal, principal financiador de imóveis no país alterou suas regras. Algumas informações consideráveis:
- A Caixa Econômica Federal reduziu o limite máximo de financiamento de imóveis usados de 80% para 50%, nos casos que utilizem recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).
- As regras continuam iguais para operações usando recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) ou pelo programa "Minha Casa, Minha Vida", informa o banco.
5. Pesquisa legal do imóvel e do corretor
Consultar um advogado ou uma imobiliária para ver se os documentos estão corretos é fundamental. “Pode custar até 2 mil reais, mas é um investimento que vale a pena para evitar dor de cabeça futura”.

6. Vale a pena usar o FGTS
O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é um direito de todo trabalhador com carteira assinada. “Vale a pena usar o FGTS, pois este benefício é exclusivo para que não possui nenhum outro imóvel no nome. É um grande artifício porque este dinheiro está sendo mal investido e está rendendo pouco”.

7. Escolha do Imóvel
Na hora da escolha do imóvel devem-se levar considerações importantes, e principalmente ter definido o que você está pronto a aceitar ou não para realizar o sonho da casa própria:
- Analisar a vizinhança
- Avaliar o acesso ao transporte público
- Visitar o local durante o dia e durante a noite, em dias quentes e de chuva
- Procurar identificar junto a vizinhança se o imóvel é perigoso ou barulhento
- Conhecer o trânsito local

8. O momento adequado
O mais importante no processo da compra é conciliar o momento financeiro adequado com as oportunidades. Portanto, não basta apenas ter o recurso e não conciliar com imóveis que valham a pena. Ficar atento nessas horas é fundamental. O momento atual é indicado para quem tem recurso para comprar imóveis usados a vista. O mercado imobiliário no Norte Fluminense está em baixa, e temos muito mais oferta do que procura. E na região o financiamento pela CEF sempre foi muito forte, o que dificulta ainda mais a venda de imóveis usados, o que tem causado a redução dos valores nessa categoria.

Nas próximas publicações da Série Meu Primeiro Imóvel vamos falar sobre Tipos de Carta de Crédito, Sistemas de Financiamento, Análise Técnica de Imóveis, Estudos de Caso.

Espero que esse texto sirva para ajudar

Até mais!

Rodolfo Gonçalves



Referências:

¹http://epocanegocios.globo.com/Inspiracao/Vida/noticia/2013/07/8-dicas-para-quem-quer-comprar-o-primeiro-imovel.html
²http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/04/27/caixa-economica-reduz-limite-maximo-para-parcelamento-de-imoveis-usados.htm

Nenhum comentário: