sábado, 24 de maio de 2014

O Novo CD da Mariah!

"Me. I Am Mariah
The Elusive Chanteuse"


Sim! Já está entre nós os áudios oficiais do novo cd da Mariah. Com lançamento do material físico para 27 de maio, o novo álbum já surge causando muitas expectativas. Como fã segue um pouco da minha visão sobre esse momento, e algumas notas interessantes vinculadas na mídia:
A revista "Entertainment Focus" traz uma avaliação do álbum em 5 estrelas!!! Yes!!!! Ele merece isso. Escute e comprovarás. Confesso que tanta demora e alarmes falsos quase me fizeram desacreditar desse lançamento. Lembro-me quando “Triumphant" foi divulgado, na época fiquei bem esperançoso, acreditava que o cd chegaria logo.... rsrsrs. Mas foram mais longos meses de espera.

Como fã, minha cabeça ficou um tanto confusa a cada single isolado lançado: Triumphant, #Beautiful, You’re Mine (Eternal), The Art of Letting Go.... nunca imaginava o que viria. Após cada susto inicial, todas as canções se tornaram viciantes.

No meu TOP FIVE desse CD ficam:
1. Cry / Camouflage (difícil escolher qual das duas!)
2. You Don't Know What To Do (feat. Wale)
3. One More Try
4. Make It Look Good / Heavenly (No Ways Tired / Can't Give Up Now)
5. You're Mine (Eternal)

Minha impressão final sobre esse CD: Uma obra de Arte. Mariah se superou e apresentou algo realmente incrível para seus fãs. Sua musicalidade e talento continuam impressionantes!

Vamos agora a alguns trechos interessantes da análise publicada na "Entertainment Focus":

Mostrando que está falando sério, Mariah abre o álbum com “Cry”, surpreendendo-nos instantaneamente. A faixa é uma balada ecoante conduzida por um piano que deixa o som R&B de seus trabalhos mais recentes para trás e foca mais em seus vocais. É uma jogada esperta pois a música relembra os maiores sucessos de Mariah e é o tipo de balada grandiosa que os fãs vem querendo há anos. A faixa também prepara o ouvinte para as inúmeras surpresas que terá pela frente.
A maioria das canções no album é mais forte que os singles escolhidos que já haviam sido lançados. Sabemos que “You’re Mine (Eternal)” é uma música bacana, mas nós estamos quebrando nossa cabeça para entender porque a viciante e instantanea “You Don’t Know What to Do” com participação de Wale não foi escolhida primeiro. A abertura acústica abre caminho para o clássico suntuoso das pistas de dança que poderia facilmente dar a Mariah outro número 1, acrescentando à sua trajetória impressionante.
A ordem do dia para “Me. I am Mariah… The Elusive Chanteuse” é variedade e Mariah joga com seus pontos fortes ao longo do álbum. Das mais agitadas como “Thirsty” até a gospel “Heavenly (No Ways Tired/Can’t Give Up Now)” há algo para todo mundo que já foi fã da Mariah algum dia.
A sonhadora “Dedicated” é construída em torno de um sample de Wu Tang Clan e tem a participação de Nas, a harmoniosa “Make It Look Good” deveria ser um próximo single e “Meteorite” é um momento glorioso de pista de dança dos anos 70, melhor se tocada em volume alto. Mariah também põe seu próprio toque no clássico “One More Try” de George Michael que é surpreendentemente tocante.
Momentos marcantes do álbum vem das batidas inesperadas da balada mid-tempo “Faded” e a simplicidade de “Camouflage” que traz um dos melhores vocais do album. Você simplesmente não pode combater Mariah em uma balada de piano e ninguém faz isso melhor do que ela faz.
A edição deluxe traz “The Art of Letting Go” que foi lançada como single no começo do ano e dois remixes de faixas do álbum “Memoirs of An Imperfect Angel” com participação de Mary J. Blige e R. Kelly.
Uma coisa que precisa ser destacada sobre “Me. I am Mariah… The Elusive Chanteuse” é como Mariah soa incrível no album. Suas habilidades vocais tem sido incansavelmente discutidas nos anos recentes, mas fica claro que ela não perdeu o que a tornou uma estrela em primeiro lugar. Ela pode até usar sua extensão de peito mais secretamente hoje em dia, mas quando ela faz soa mais forte do que nunca.
“Me. I am Mariah… The Elusive Chanteuse” é uma gravação surpreendente pela qual as pessoas simplesmente não esperariam. As previsões prematuras de um desastre por alguns desavisados foram seriamente fora do gol já que Mariah lança seu álbum mais consistente desde “The Emancipation of Mimi” de 2005. Ele nos deixou impressionados e prontos para declarar que Mariah está de volta ao jogo.

Nenhum comentário: