quarta-feira, 10 de abril de 2013

Direto do PiniWeb



Iphan aprova tombamento do primeiro arranha-céu em concreto armado do Brasil



Assinado pelo arquiteto francês Joseph Gire, Edifício A Noite foi inaugurado em 1929 na Praça Mauá, no Rio de Janeiro


Ana Paula Rocha



Considerado o primeiro arranha-céu brasileiro, o Edifício A Noite, localizado na Praça Mauá, no Centro da cidade do Rio de Janeiro, foi tombado no dia 3 de abril pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O prédio de 22 pavimentos no estilo art déco foi projetado pelo arquiteto francês Joseph Gire, também autor do Copacabana Palace e do Hotel Glória, ambos no Rio de Janeiro. O arquiteto Elisiário da Cunha Bahiana colaborou no projeto.
Divulgação
Segundo parecer do Departamento de Patrimônio Material (Depam/Iphan), o prédio é emblemático tanto pelo aspecto estrutural e arquitetônico, quanto por seu significado cultural. Inaugurado em 7 de setembro de 1929, o Edifício A Noite, nome este porque foi projetado para o Jornal A Noite, chegou a ser considerado o mais alto em estrutura de concreto armado do mundo, mas foi superado no ano seguinte pelo Prédio Martinelli, ao menos dois metros mais alto. O projeto estrutural é do engenheiro Emílio Baumgart e a construção foi realizada pela empresa Gusmão, Dourado & Baldassini, sob fiscalização do engenheiro Otávio Barbosa Carneiro.

A edificação já chegou a abrigar, de acordo com o relatório, multinacionais como a Pan Am e Philips, agências de notícias, os consulados dos Estados Unidos e Panamá, além dos estúdios e o auditório da Rádio Nacional, que recebeu artistas como Cauby Peixoto, Emilinha, Marlene e Dalva de Oliveira. "O Edifício A Noite também é marco arquitetônico e urbanístico no país. A partir de sua construção, teve início um processo de verticalização da cidade. No início do século 20, na Avenida Central, atual Rio Branco, os edifícios chegavam a até oito pavimentos. Na Praça Mauá, no extremo oposto da Rio Branco, estava a sede do Jornal A Noite, um prédio com 22 andares e 102 m de altura", diz o documento.

Nenhum comentário: